quinta-feira, julho 29, 2010

Touradas na Catalunha



Quando os touros souberem que já não servem para nada (e como tal se vão extinguir) tenho cá a impressão que alguns "amigos dos animais" vão ter mesmo de ir a banhos

4 comentários:

Anónimo disse...

Se as touradas terminarem lá se acabam os orgamos mentais dos carrascos da mesma forma como os cristãos lançados às feras.
Terminam as touradas mas não é por falta de cornos em Espanha.
Uma decisão que só peca por ser tardia.

José Carlos disse...

Não sou propriamente um admirador das touradas. Faz parte das tradições ibéricas. Não me incomodam nem as aprecio. Sou abstencionista total sobre este assunto.
Contudo a existência da raça taurina só se justifica para a tourada. Caso seja extinta é extinta a raça. Aí afino porque não aceito a extinção de mais raças animais. E foi esse o sentido do meu postal. E estou seguro de que o meu estimado anónimo também não desejará a extinção da raça. Como fazer o pleno não sei.

Anónimo disse...

Acabada a tortura acaba a raça?
Isto é uma visão completamente destorcida sobre a raça tourina. Os touros não foram inventados pelo homem para e só fins de tortura (o homem na sua mediocridade e dado a espasmos de orgasmos mentais através da crueldade e do sadismo inventou este tipo de morte para estes animais ) dentro desta real e única natureza vão continuar a existir, e muitos mais porque a sua natureza é destinada há procriação, e não a manifestações sobre a morte em praças públicas, assistidas por quem não tem outros valores que não seja ver o horror e sangue, como todos os crimes em que o homem só se julga capaz quando impregnado de sangue. Pobres toureiros que fedem a sangue e morte, que arregacem as mangas para trabalharem, que se deixem daquelas paneleirices todas, brilhinhos, lantejoulas, coletezinhos, sapatinhos de cetim, meias cor de rosa, calcinhas apertadas, jeitinhos de larilas, é inconcebível nos tempos de hoje possam existir estas demonstrações de cueldade e de morte é urgente que se humanize as feras que se crêem humanos, é urgente que no mundo não haja derramamento de sangue gratuíto, como entretenimento, para que se tenha uma humanidade, humana, e um mundo melhor, nunca lamentei quando um destes paneleiros morre pelos cornos de um touro.
Não às touradas, não aos touros nas ruas, não às torturas, não aos crimes.

Réquila disse...

Novidade das Edições Réquila: "Nun'Álvares Guerreiro e Monge"

edicoesrequila.blogspot.com