quinta-feira, dezembro 18, 2008

“Os 60 anos da declaração ...”

Liberdade de expressão, patati patatá


Philipe Pichon, policia francês e escritor foi detido em França, no segunda feira pela Inspecção Geral da Policia Francesa.
Acusação “falta ao dever de reserva”. Tudo porque em princípios de 2007 publicou o livro “Diário de um Policia” em que revela bastantes “podres” da “flicada” francesa.

Mas algo mais há por detrás de tudo isso. Então prende-se o homem quase 2 anos depois dos factos. E numa altura em que ele assume um protagonismo contra a “asfixia literária e cultural que a esquerda francesa vota aos escritores de direita”. Não nos esqueçamos que Pichon é para alem de policia um dos principais estudiosos e difusores de Céline.

Para além do artigo por ele publicado no Bulletin Célinien, nº 290 de Outubro de 2007, já este ano publicou um livro muito interessante (e cuja leitura recomendo) :


















Em simultâneo publicou uma carta aberta a Sarkozy intitulada : “Céline : sans plaque, sans nom, sans rien” em que condena a ausência na toponímia francesa do nome do grande e inovador escritor.


Sarkozy (que recentemente declarou a sua admiração por Céline) deveria receber o autor em breve para com ele analisar a existência de um Index de esquerda em que alguns dos principais intelectuais franceses foram colocados.

Pois foi depois de tudo isto que Pichon foi preso.

Eu – como bem sabem - não acredito em bruxas, mas ...

1 comentário:

a voz disse...

Caro José Carlos
Um Santo Natal para Si e Sua Família.
Cumprimentos.
Mário