terça-feira, setembro 02, 2008

A adquirir



Recolha (comentada) de quase oitenta cartas enviadas a Maurras pelos seus amigos: da Action Française ( Bainville, Montesquiou, Moreau, Vaugeois), dos homens de confiança (Bernard de Vaulx, almirante Antoine Schwerer), referências intelectuais (Robert Brasillach, Thierry Maulnier) ou dos militantes combatentes(Maurice Pujo, Georges Calzant, Lucien Lacour, Marius Plateau, Maxime Réal del Sarte), dá-nos um retrato de uma época, com os seus comportamentos e posturas políticas de uma série de gerações. Marcadas pela violência da guerra, impregnadas de valores realistas, nacionais, católicos e anti comunistas, exprimem uma adesão incondicional às ideias maurrasianas de todos eles.

Livro a ler absolutamente.

Apostilha: Para quando um estudo a sério sobre a correspondência de Salazar com Maurras?
É um campo virgem para uma investigação universitária. Depois do livro sobre a correspondênciaa entre Salazar e Alfredo Pimenta, recentemente saído, e que também brevemente comentarei, este assunto merecia uma análise cuidada.

Para já vou publicar a famosa carta de Maurras a Salazar: Tenez, Restez. Essencial!

1 comentário:

Euro-Ultramarino disse...

Caro Amigo,
Na Torre do Tombo, no arquivo "Salazar", encontra-se apenas uma carta - a última - de Maurras ao Presidente do Conselho. Onde andará o resto da correspondência, a qual imaginaria razoalvelmente nutrida?
Forte abraço.