terça-feira, setembro 02, 2008

Para a história da ignomínia

Um dos meus "rituais semanais" consta da leitura atenta todas as terças feiras do jornal Público do artigo da jornalista Helena Matos, única exemplar da classe jornalística que não tem medo de falar de coisas que mais ninguém fala. É sempre um deleite lê-la, concordando ou não com ela.

Hoje traz-nos uma notícia (que eu desconhecia - e logo eu que pensava conhecer a maior parte das histórias da ignomínia post abrilina).

E de que notícia se trata: em Fevereiro de 1975 (bastantes meses antes da independência) o Alto Comissário do Portugal (abrilino) em Angola achou apropriado e honroso que o dia 15 de Março de 1961 integrasse o calendário oficial de feriados de Angola, na qualidade de data festiva.

Ou seja o abrilino de serviço achou que a data de um dos maiores massacres a que os portugueses foram sujeitos (em que milhares e milhares de portugueses foram massacrados no Norte de Angola) fosse uma data festiva.

Canalhas, Canalhas, Canalhas!!!

2 comentários:

Euro-Ultramarino disse...

Caríssimo,
Portugal, mesmo em miniatura, apenas poderá sobreviver com um mínimo de decência quando se fizerem o julgamento e o castigo da canalha de quem o Amigo fala. Enquanto isso não ocorre o que resta do corpo luso continua a flutuar alegremente na cloaca abrilina. Repito consigo: "canalhas! canalhas! canalhas!"
Abraço porteño.

swedenborg disse...

Nojento, mil vezes nojento, e a podridão não ficou apenas em 75.Me recordei neste mês no também idescritível massacre dos inocentes de Beslan, que aniversaria esse mes.Cá no além-mar houve gente ,entupida de bons sentimentos multiculturais, a exaltar a "atitude libertadora" dos fascínoras chechenos frente ao "imperalismo russo" e criminalizar (as usual)as vítimas.Daqui a pouco propoem um feriado comemorativo. Enquanto respirarem o mesmo oxigênio que nós, esses excrementos articulados, não haverá justiça, e o Céu ainda a clamará em vão.

Abraços de Aldo Friederiksen- Brasil