domingo, junho 07, 2009

Que coceira...

O que querem, está provado cientificamente. Quando voto - e esta é a terceira vez - fico cheio de coceiras. Só que desta vez resolvi tomar logo um anti - histamínico. Melhorei logo, apesar de quando em vez vir a maldita vontade de me coçar.

Mas amanhã já estou melhor.

Li, com grande gozo o postal do Nonas sobre o Telejornal das TV. Aquele sobre o papão.

Não sei calcular o múltiplo a aplicar aos 8.000 votos das últimas eleições. Até pode ser menor que 1,5 que eu não me chateio nada.

Mais do que o número absoluto, importa reflectir sobre a dinâmica conseguida pela campanha. O chamamento que fez aos mais retirados, aos abstencionistas. Os caminhos que se abriram. A decisão da Direcção do PNR de ir buscar o Humberto Nuno foi muito acertada. E deu os seus resultados. Disso estou seguro. Entraram em sítios e pessoas impensáveis há bem pouco tempo. A análise aos resultados, distrito a distrito, concelho a concelho, freguesia a freguesia vai ser muito importante para o futuro dos nacionalistas. Para o futuro de Portugal enquanto Nação que se quer soberana e altiva.

Ao contrário do que muitos pensam a abstenção também prejudicou a candidatura. Sei de diversos jovens que iriam votar e não o conseguiram devido a acompanharem os pais em fins de semana mais ou menos programados para a época.

Logo vou dar um abraço ao Humberto Nuno. Bem merece. Com 2.000 euros (o mesmo que os grandes partidos gastam em meia hora de campanha) muito - mas mesmo muito - se conseguiu.

Lamento a ausência de alguns que em nome das "purezas" da treta e enquadrados em movimentos mais ou menos marginais ao PNR se entretiveram a dizer mal, a gozar a antecipada derrota estrondosa do Humberto Nuno. A eles só lhes digo: A vida é combate, sim, mas combate inteligente. O futuro vale bem uma certa condescendência...

12 comentários:

Anónimo disse...

Portugal enquanto Nação que se quer soberana e altiva.
Ahahahahaha,Portugal é o quê!?...

José Carlos disse...

Pois infelizmente Portugal é - neste momento - a secção ocidental da União Europeia. Mais de 75% (leu bem, setenta e cinco por cento) das normas, leis, etc) são-nos impostas por Bruxelas e não podem (repito não podem!!!) ser alteradas pela vontade soberana dos portugueses. Mesmo que eles o desejassem e tivessem 99,99% dos votos não poderiam alterar as imposições de Bruxelas. E chama a isto uma Nação soberana e altiva?
Eu chamo-lhe a secção portuguesa da internacional federasta!
E não basta pensar: quem paga, manda. Porque dentro de muito pouco tempo vamos pagar muito mais do que recebemos. E aí como é que vai ser? Com o Tratante de Lisboa é que vão ser elas...

Manuel Afonso disse...

Pois amigo agora é que são elas, o centro direita, a direita e a extrema direita arrumou com eles, a maioria dos países da Europa votaram que se entenda NÃO com estas eleições, os povos mostraram que quem manda não são eles, o Sapateiro levou uma sapatada que bem pode ir para quem não o abortou e levar a sua criminosa lei do aborto.

Anónimo disse...

parabéns. tiveram mais votos que a carmelinda e menos que o atrasado mental do ppm. resultado fantástico... vão lá analizar os resultados freguesia a freguesia mas não se suicidem com o que virem. e espero que todos vós tenham mais talentos, nomeadamente profissionais, pq em termos políticos estamos conversados.

harms disse...

Conversados? Com anónimos? Como é que isso se consegue?

vml disse...

O PNR subiu 60%.

O POUS subiu 18%.

O PPM desceu 11%.

Anónimo disse...

"O PNR subiu 60%"
Pois foi, então vê lá se sabes porquê, e ajuda a fazeres a respectiva depuração. Mas primeiro tu: banhos de água fria, auto-flegelação, orações várias, etc.
E depois informa as autoridades quando tiveres conhecimento que determinados energumenos teus conhecidos andam à solta.

Zé-pato

Anónimo disse...

"O PNR subiu 60%"
Pois foi, então vê lá se sabes porquê, e ajuda a fazeres a respectiva depuração. Mas primeiro tu: banhos de água fria, auto-flegelação, orações várias, etc.
E depois informa as autoridades quando tiveres conhecimento que determinados energumenos teus conhecidos andam à solta.

Zé-pato

Anónimo disse...

Conversados? Com anónimos? Como é que isso se consegue? Diz harms.
Poderia usar um qualquer pseudónimo, como fazem muitos dos que andam pelos blogs, mas não era a mesma coisa? É que eu sou democrata, e como democrata não posso usar o meu nome, corro o risco de perder o trabalho, quero dizer trabalho para o “governo” como todos que trabalhavam para o governo do antes do dois e quinhentos de Abril não 25, mas 2$5, também o meu pai era fascista porque trabalhava para o governo.
Se fosse tão difícil o diálogo com anónimos, porque o fez? Mas eu prefiro continuar como anónimo, do que usar o nome de mulher como disfarce de qualquer coisa que não é muito clara! Como por ex: um tal de, Maria, que já foi, Maria do Carmo, voltou a ser, Maria, passou a, Maria Celeste e volta a ser, Maria, que desmascarado em blogs pega em armas e bagagem e desaparece sem contestar as mensagens que o denunciam como sendo um Manel e não uma Maria, por detrás de uma internet e do nome de mulher, vulgar e foleiro, quando assinado só como Maria, se engana meia dúzia, não engana a todos, porque é mesmo de um gonorreia nenhuma mulher assinaria só como, Maria, e é só os blogs de homens que este sacana procura.
Quantos orgasmos ele a Maria tem com isso?

Manuel Afonso disse...

Bonés no chão em São Bento.
Que grande chapelada, para Sócrates.
Depois do que se passou ontem, não seria antes de fazer a entrega de uns barretes? Gostei do que hoje se passou em Portugal. As ocidentais praias lusitanas deram um sinal de que, afinal, querem mudar. Só falta saber se nas legislativas se passará algo semelhante. Ou terá sido apenas uma reacção fátua? Será que é desta?

José Carlos disse...

Meus Caros:

Vou responder ao ilustre Aónimo que me aconselhou um belo suicído tradicional e honroso (deve ser da nossa gente, senão tinha-me mandado para outro lado, que não o honroso suicídio).

Vou-lhe responder no próprio blogue assim que disponha de um certo tempinho.

Continuo vivo - apesar da idade - e continuo de pé. Não me arrependendo de nada. Nem de ter votado (custou-me, é certo, deu-me cá uma coceira danada, que vocês nem calculam) no HNO. E esclareço bem: no HNO!

Pois meu caro, quando sair o texto aceito todos os seus comentários. E responder-lhe-ei com todo o prazer.

Anónimo disse...

fico à espera da resposta, mas olhe que não aconselhei o suicídio. Temo sinceramente pelos actos pós-depressivos que decorrerão da observação da divisão de 13.000 votos pelas freguesias deste país.